sexta-feira, 7 de novembro de 2008

TRT MG: Tribunal Regional defere rescisão indireta a empregada obrigada a carregar peso excessivo

A 3ª Turma do TRT-MG declarou a rescisão indireta do contrato de trabalho (ou seja, rompimento do contrato com efeitos de dispensa sem justa causa) de uma reclamante que alegou ser obrigada, no exercício de suas funções, a carregar caixas de mais de 20 quilos, o que lhe causou danos à saúde. As testemunhas confirmaram que ela era obrigada a transportar simultaneamente várias caixas de produtos dos depósitos dos hipermercados para as gôndolas, pois tinha que cumprir a rota de clientes estabelecida pela empresa, atendendo de 04 a 05 supermercados por dia.
Com base nessas informações, o desembargador Bolívar Viegas Peixoto, que atuou como revisor e redator do recurso da reclamante, concluiu provadas as alegações de que a reclamada a tratava com rigor excessivo, impondo-lhe trabalho superior às suas forças.
Para o desembargador, nem há necessidade de que haja constância em carregar peso superior às forças da empregada para se aceitar a rescisão indireta do seu contrato de trabalho: “A lei preceitua exatamente sobre a proteção ao trabalho da mulher, que não pode se submeter a fazer esforço maior que a sua condição física, sob pena de se prejudicar o seu estado fisiológico, com gravames pelo resto da sua vida. Se tal ocorrer, a rescisão indireta do contrato de trabalho deve ser declarada” - finaliza.
Entendendo provado que a conduta da empresa se enquadra nas hipóteses de justa causa expressas no artigo 483 da CLT, a Turma deu provimento ao recurso da reclamante para declarar que o contrato de trabalho foi rescindido por culpa do empregador, condenando a reclamada a pagar as verbas rescisórias pleiteadas na ação.

Notícia Extraída de: http://www.trt3.jus.br/

Veja Também!

TRT MG: JT afasta justa causa aplicada a empregada que faltou ao serviço para levar filho ao médico
Professor de escola pública poderá receber 14º salário
Lula sanciona piso salarial de R$ 950 para professor
TST - Após desistir de ação, trabalhador terá de devolver valores recebidos
TST - Empregada remanejada para não receber auxílio-doença consegue estabilidade
TST - Indenização por dano moralEmpresários criam central de atendimentos para tirar dúvidas sobre a nova lei de estágio
Câmara avalia mudanças no período da licença-paternidade
Projeto amplia oportunidades de trabalho para adolescentes entre 14 e 16 anos
Novas regras para estagiários
FGTS completa 42 anos
Lula sanciona lei que amplia licença-maternidade para seis meses
Contribuição Sindical, Assistencial e Confederativa - Discussão para Criação de Imposto Único
TRT MG: Farmacêutico que prestou serviços em laboratório de hospital tem reconhecido vínculo empregatício
TRT MG: Empregador que não pagou INSS de empregado falecido é obrigado a indenizar espólio por pensão não recebida

Receba Atualizações no seu e-mail

Digite seu e-mail (clique aqui e veja orientações):

Delivered by FeedBurner

 
© 2007 Template feito por Templates para Você